terça-feira, 6 de abril de 2010

Sou como um livro. Quem não se limita ao título, folha de rosto ou orelha; tem a possibilidade de gostar, e até entender, quem sabe? De Cordel do Fogo Encantado a Cazuza, passando por Los Hermanos e Coldplay. Uma preconceituosa com pessimistas em geral, que adora romance. Enfim, tudo que uma idiota é. E me orgulho de ser idiota, porque só os idiotas são felizes. E eu sou. Uma boba que adora escrever bobagens, já que nem sempre se pode falar em voz alta... Divertida, uma contradição, não muito simpática, espontânea, filha mais velha, vivo no país das maravilhas… Acredito em príncipe encantado, no amor e em almas gêmeas. Acredito num mundo melhor e numa sociedade justa. Acredito também no poder de um sorriso. Se você não tem sonhos, não destrua os meus. Como diz aquela música: "Você pode me ver do jeito que quiser, eu não vou fazer esforço pra te contrariar. De tantas mil maneiras que eu posso ser, estou certa que uma delas vai te agradar". Cabe aqui um pouco de Clarice Lispector também: "Suponho que me entender não é uma questão de inteligência e sim de sentir, de entrar em contato… Ou toca, ou não toca".

Um comentário:

Angelo disse...

Cordel do Fogo Encantado é excelente, assim como você.